Memórias de um Sargento de Milícias - questões

Aqui você encontrará questões sobre o romance Memórias de um Sargento de Milícias, de Manoel Antônio de Almeida


1. (PUC-RS)
“Era esse dia domingo do Espírito Santo. Como todos sabem, a festa do Espírito Santo é uma das festas prediletas do povo fluminense. Hoje mesmo que se vão perdendo certos hábitos, uns bons, outros maus, ainda essa festa é motivo de grande agitação; longe porém está o que agora se passa daquilo que se passava nos tempos a que temos feito remontar os leitores. A festa não começava no domingo marcado pela folhinha, começava muito antes, nove dias, cremos, para que tivessem lugar as novenas.”
Além de ser uma narrativa crítica e irônica da moral da época, Memórias de um Sargento de Milícias, como ilustra o texto acima, pode ser visto como um romance:
  1. histórico.
  2. de costumes.
  3. psicológico.
  4. moralístico.
  5. sentimental.
2. (U.F.GOIÁS) Em relação à obra Memórias de um Sargento de Milícias pode-se afirmar que:
  1. contraste entre o bem e o mal próprio dos romances românticos desaparece na figura do ator herói;
  2. personagem Leonardo nasce malandro feito, como em Macunaíma;
  3. Leonardo adquire as características da malandragem por força das circunstâncias;
  4. panorama traçado pelo autor é limitado espaço em que as ações se desenvolvem;
  5. panorama traçado pelo autor é ampliado espaço em que as ações se desenvolvem.


3. (PUC-RS) A vida carioca na época de ….. é retratada com vivacidade, de maneira intencionalmente……, numa linguagem ….., em Memórias de um sargento de milícias, de Manuel Antônio de Almeida.
  1. Mem de Sá – histórica – desalinhada
  2. Duarte Coelho – biográfica – retórica
  3. D. Maria I – folhetinesca – pedante
  4. D. João VI - humorística - simples
  5. D. Pedro I – sentimental – popular.
4. (ITA-2017)
O livro Memórias de um sargento de milícias, de Manuel Antônio de Almeida, mostra como, no Brasil, os agentes do poder costumam, por vezes, confundir as esferas do público e do privado. Como afirma o narrador, no capítulo XLV: “Já naquele tempo (e dizem que é defeito nosso) o empenho, o compadresco, eram uma mola de todo o movimento social”. No enredo, isso é ilustrado pelo comportamento de Vidigal, que

a. teve, na infância, uma educação familiar muito permissiva, que lhe afrouxou o caráter.
b. sempre foi, desde menino, resistente aos valores éticos ensinados pela escola e pela Igreja.
c. teve expostas suas desventuras amorosas, sendo, muitas vezes, objeto da chacota coletiva.
d.optou, por interesse, pela carreira de meirinho, respeitada e promissora na época.
e. revelou ter um caráter não tão rígido ao ceder aos apelos de sua amante.




Gabarito:

1. b
2. b
3. d
4. e





Post a Comment